quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Seda no chão

Hilaire Chardonnet (1839-1924) era um estudante de química em Paris quando, em 1865, auxiliou ninguém menos do que Louis Pasteur em um estudo sobre as doenças do bicho-da-seda. Na época, Chardonnet comentou que seria ótimo se a seda pudesse ser substituída por um tecido artificial. "Se isso fosse fácil, meu caro, não estaríamos perdendo tanto tempo com a saúde desses bichinhos", respondeu Pasteur. O rapaz teria esquecido o assunto se, treze anos depois, enquanto revelava filmes em uma sala escura, não tivesse derrubado no chão um vidro com colódio, ingrediente de lacas e vernizes. Não quis interromper a tarefa na hora e quando foi limpar a sujeira o liquido já tinha evaporado. No lugar dele ficaram uns fios sedosos. A partir do acidente, Chardonnet passou seis anos desenvolvendo a seda artificial, que mais tarde chamaria raiom. Só em outubro de 1891, porém, é que convenceu as indústrias a fazer roupas com o tecido sintético.

Fonte: Revista Superinteressante

2 comentários:

Luciano disse...

Pois é... muitas das descobertas cientificas foram ao acaso e isso ainda ocorre hoje em dia.

Picco disse...

Isso mesmo Luciano e pode ter certeza que muitas descobertas ao acaso vão ocorrer ainda.

um abraço