domingo, 1 de julho de 2012

LED melhora 122% trocando silício por cobre


Em comparação com os LEDs comuns, fabricados sobre silício, a luz emitida pelo LED sobre cobre melhorou 122%.


Efeito de confinamento quântico

Pesquisadores chineses conseguiram pela primeira vez substituir o silício pelo cobre na fabricação de LEDs. Tufu Chen e seus colegas da Universidade Sun Yat-sen conseguiram transferir o semicondutor nitreto de gálio (GaN), crescido inicialmente sobre uma pastilha de silício, para uma camada de cobre. E não foi apenas uma questão de "replantio". O substrato de cobre permitiu que os cristais de nitreto de gálio liberassem estresses internos gerados quando eles são cultivados sobre o silício. Esse "relaxamento" permitiu a minimização do chamado "efeito de confinamento quântico", um problema que reduz a eficiência dos LEDs.

LED fenomenal

Em comparação com os LEDs comuns, fabricados sobre silício, a luz emitida pelo LED sobre cobre melhorou 122%. Segundo os pesquisadores, esse ganho, considerado "fenomenal", deveu-se a uma série de fatores, gerados pela mudança do silício para o cobre:

 - remoção do substrato absorvente;
 - inserção de um metal refletor entre a estrutura do LED e o substrato;
 - eliminação do "sombreamento" causado pelo eletrodo;
 - rugosidade da superfície exposta, que melhorou a orientação do cristal sobre o substrato.


Nenhum comentário: