segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Boas Festas a Todos

Gostaria de desejar a todos os leitores do blog um feliz natal e um próspero ano novo com muita paz e saúde.

Agradeço aos leitores que fizeram contribuições para o blog e que apesar do pouco tempo que tenho livre para me dedicar ao blog vou continuar a publicar o máximo possível de revistas brasileiras para que esse material não seja perdido no tempo.

terça-feira, 13 de novembro de 2012

Eletrônica flexível vai pegar no seu pé


A palmilha eletrônica transmite dados por uma conexão sem fios



Tecido sensível

Engenheiros de Hong Kong desenvolveram uma nova tecnologia que permite que circuitos eletrônicos amoldem-se ao corpo humano sem causar qualquer desconforto. A base de tudo está em um tecido capaz de conduzir eletricidade, permitindo a incorporação e a interligação de componentes eletrônicos.

O tecido, que incorpora uma sensibilidade à pressão de forma nativa, foi construído com tipos especiais de plástico que incorporam nanotubos de carbono em sua composição. A espessura do tecido altera-se quando ele é esticado ou pressionado, variando a intensidade da corrente elétrica que passa por ele. Isso equivale a alterar sua resistência elétrica, uma propriedade que pode ser medida facilmente.

domingo, 11 de novembro de 2012

Cientistas querem testar se vivemos em uma Matrix


Será que nós próprios não poderíamos estar vivendo dentro de uma simulação do tipo Matrix?


A arte que imita a vida

Todos os fãs da trilogia Matrix sempre se questionaram se seria realmente possível que fôssemos uma espécie de "agentes de software" da vida real. Ou se o que chamamos de "vida real" não seria de fato uma "vida virtual" fundada em uma outra realidade à qual não temos acesso direto. Agora esta questão está sendo levada a sério pelos cientistas, que estão propondo um teste para sabermos se estamos ou não vivendo em uma simulação computadorizada. A ideia, proposta por uma equipe da Universidade de Bonn, na Alemanha, parece ir bem mais longe do que outro conceito mais em voga, de que nosso Universo pode ser um gigantesco holograma. Segundo eles, mesmo nossos deuses-programadores devem ter à disposição uma capacidade de processamento limitada e, sobretudo, devem cometer erros de programação. E essas imperfeições devem criar erros na simulação que nós podemos ser capazes de detectar.

ABC da Astronomia - Episódio 07 - Fases da Lua



domingo, 28 de outubro de 2012

Raio trator espacial prestes a se tornar realidade


Apesar de conseguir puxar apenas micropartículas aqui embaixo, no espaço a força do raio trator pode ser suficiente para deslocar objetos de maior massa.


Da ficção para a realidade

Um raio trator capaz de desviar um asteroide em rota de colisão com a Terra, capturar lixos espaciais, ou ajustar a órbita de satélites artificiais não é mais um sonho tão distante. Presente há anos na ficção científica, aos poucos o conceito de um raio capaz de puxar materiais sem contato começou a ser testado nos laboratórios de nanotecnologia, já sendo uma realidade para as nanopartículas. Embora a ficção tenha várias versões do aparato, para os físicos do mundo real um raio trator é uma onda de luz, visível ou não, capaz de puxar um objeto ao longo do feixe de luz até a sua origem - há também outro conceito, conhecido como raio trator gravitacional. Agora, o avanço foi significativo o suficiente para chamar a atenção da NASA.
David Ruffner e David Grier, da Universidade de Nova Iorque, nos Estados Unidos, conseguiram pela primeira vez construir um raio trator autêntico, que puxa as partículas sem depender de sua composição. Os dois pesquisadores usaram um laser especial, que produz um tipo de luz chamada feixe de Bessel, no qual os fótons são disparados em anéis concêntricos.

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Transmission Line Transformers Handbook - Corrigido

Quero avisar ao leitor Vaneberg Gonçalves dos Santos, que informou sobre o link quebrado desse livro, que já está arrumado e pode acessar aqui a postagem.

Só lembrando que como eu perdi minha cópia por sorte o colega italiano que tem diversas revistas, também tem esse livro e mais alguns que ele colocou recentemente e pode ser acessado aqui. Aproveitem para baixar porque ele colocou uns livros muito bons com diversos esquemas de RF e áudio.

Eletrônica - Montagem e Experimentos

Essa revista foi vendida no Brasil(e depois em Portugal) provavelmente por volta de 1997 e de acordo com a segunda página é composta de cinquenta e dois exemplares e cada um deles vinham junto os componentes das montagens.

Esse exemplar que trago é uma contribuição do leitor Roberto, são as cinco primeiras edições e também os layouts das placas.


Eletrônica - Montagem e Experimentos
Download
 

terça-feira, 9 de outubro de 2012

Circuitos integrados ópticos chegam ao mercado


Os circuitos integrados fotônicos estrearão em aplicações específicas, sobretudo em telecomunicações.


Fotônica sob encomenda

A integração de componentes ópticos e eletrônicos tem feito reiteradas promessas de computadores mais rápidos e que aquecem menos. Recentemente, pesquisadores alemães anunciaram finalmente que a interligação de chips por luz está pronta para a indústria. Mas as novidades mais práticas não vieram dos grandes fabricantes, e sim de uma empresa emergente criada por pesquisadores da Universidade de Valência, na Espanha. Pascual Muñoz e seus colegas não apenas fundaram a VLC Photonics, como já estão oferecendo serviços de projeto de chips integrando componentes eletrônicos e componentes ópticos, como lasers e fotodetectores. "Tradicionalmente, fornecedores de componentes ópticos têm desenvolvido internamente os processos para otimizar a fabricação de dispositivos específicos, como lasers ou moduladores. O paradigma emergente das fabless opera com escritórios de projeto independentes que podem fornecer blocos genéricos para construir chips complexos por usuários externos," explica Muñoz.

domingo, 30 de setembro de 2012

ABC da Astronomia - Episódio 06 - Estrelas



Memristores transparentes permitem antever tecnologias do futuro


O óxido de estanho-zinco não é apenas muito mais barato, como é também transparente.


Cérebro transparente

Os memristores são componentes eletrônicos tão promissores que são chamados de sinapses artificiais. Um memristor é um componente com um comportamento similar ao do resistor, mas capaz de "lembrar seu passado", o que significa que ele funciona como uma memória não-volátil - seu nome é uma junção de memória e resistor. Santosh Murali e seus colegas da Universidade de Oregon, nos Estados Unidos, juntaram agora os memristores com a eletrônica transparente, dando um vislumbre do que poderá ser a tecnologia dos gadgets do futuro. A eletrônica transparente promete produtos inovadores, que ainda não existem, como telas mostrando informações nos pára-brisas dos automóveis, ou navegar na internet no tampo de vidro de uma mesa. Já as sinapses eletrônicas estão se estabelecendo com o nome de RRAM, ou memórias de acesso aleatório resistivas, com várias vantagens em relação às memórias flash atuais.

Óxidos semicondutores

Os pesquisadores demonstraram que é possível fabricar memristores usando óxido de zinco e estanho, um material bem conhecido da indústria eletrônica. Algumas das melhores oportunidades para esses novos semicondutores feitos de óxido amorfos não estão no campo das memórias, mas na área dos chamados filmes finos, usados na fabricação de telas e monitores, entre outras possibilidades. Nesse caminho, o composto mais próximo da comercialização é o óxido de zinco-gálio-índio. O inconveniente é que o gálio e o índio estão se tornado cada vez mais caros. Já o óxido de estanho-zinco, agora sintetizado por Murali e seus colegas, não é apenas muito mais barato, como é também transparente. Os pesquisadores esperam agora caracterizar rapidamente as propriedades físicas e elétricas do novo composto, a tempo de oferecê-lo como uma alternativa mais viável para a indústria.


Fonte: Inovação Tecnológica

Revista Radiorama [Parte 25]

Segue mais uma parte. Estou mudando os arquivos para o Mediafire aos poucos e em breve estará tudo no Mediafire para ser mais fácil o acesso.

sábado, 22 de setembro de 2012

Últimas edições adicionadas na lista


Números que possuem um (sub) ao lado são arquivos que foram substituídos por outros com melhor qualidade.


03/02/2017 Eletrônica Total Edições 26, 58, 67 e 84.
03/02/2017 Saber Eletrônica Edições 207, 249, 260, 273, 275, 276, 284, 285, 286 e 292.
22/01/2017 Eletrônica Total Edição 01(Fora de série).
22/01/2017 Saber Eletrônica Edição 07(Fora de série).
09/01/2017 Rádio e Eletrônica Edições 07(sub) e 17.
09/01/2017 Eléctron Edições 11, 19, 34, 56 e 58.
09/01/2017 Saber Eletrônica Edição 240.
06/01/2017 Eletrônica Passo a Passo Edições 15 e 17.
06/01/2017 Divirta-se com a Eletrônica Edições 46, 47 e 48.
30/12/2016 Eletrônica Passo a Passo Edições 44, 47, 49 e 52.
29/12/2016 Eletrônica Passo a Passo Edições 36, 37, 38, 39, 40 e 42.
29/12/2016 Saber Eletrônica Edição 142.
29/12/2016 Aprendendo e Praticando Eletrônica Edição 73.
19/12/2016 Eletrônica Passo a Passo Edições 28, 29, 30, 31, 32, 33, 34 e 35.
19/12/2016 Eletrônica Total Edição 63.
19/12/2016 Saber Eletrônica Edições 83 e 131.
19/12/2016 Divirta-se com a Eletrônica Edição 43.
16/12/2016 Eletrônica Passo a Passo Edições 20, 24, 25, 26 e 27.
16/12/2016 Aprendendo e Praticando Eletrônica Edição 63(sub).
05/12/2016 Divirta-se com a Eletrônica Edição 51.
05/12/2016 Saber Eletrônica Edições 72, 75, 76, 77, 110, 193, 269, 280, 297 e 312.
27/11/2016 Eletrônica Total Edição 20.
27/11/2016 ABC da Eletrônica Edições 16 e 19.
27/11/2016 Monitor de Rádio e TV Edição 231(sub).
27/11/2016 Saber Eletrônica Edições 16(sub) e 64(sub); 18(Fora de série).
27/11/2016 Aprendendo e Praticando Eletrônica Edições 67 e 69.
14/11/2016 Saber Eletrônica Edições 44, 65(sub), 180, 241, 242, 250 e 251(sub).
14/11/2016 Eletrônica Total Edições 33 e 74.
14/11/2016 Eletrônica Passo a Passo Edições 23 e 51.
14/11/2016 Aprendendo e Praticando Eletrônica Edições 34 e 71.
14/11/2016 ABC da Eletrônica Edições 05 e 24.
31/10/2016 Saber Eletrônica Edições 68, 130(sub), 168, 170, 202, 220(sub), 308 e 341.
31/10/2016 Aprendendo e Praticando Eletrônica Edição 61.
09/10/2016 Saber Eletrônica Edição 64.
09/10/2016 Eléctron Edições 10 e 24.
09/10/2016 Eletrônica Total Edição 114.
26/09/2016 Aprendendo e Praticando Eletrônica Edições 53, 60, 63, 74, 75, 78, 80, 81 e 84.
26/09/2016 Eletrônica Total Edições 47, 48, 50, 54, 55 e 71.
26/09/2016 Divirta-se com a Eletrônica Edição 34(sub).
26/09/2016 Rádio-TV Técnico Edição retrospectiva 2.
26/09/2016 Eletrônica Coletâneas Edição 28.
18/09/2016 Eletrônica Total Edições 05, 23, 35, 36, 38, 41 e 42.
18/09/2016 Eléctron Edição 07.
18/09/2016 Eletrônica Passo a Passo Edição 22.
12/09/2016 Eletrônica Total Edição 28.
12/09/2016 Eletrônica Passo a Passo Edições 06, 07, 08, 09, 10, 11, 12, 13, 14, 16, 18, 19 e 50.
12/09/2016 Eléctron Edições 04 e 53.
12/09/2016 Saber Eletrônica Edições 16 e 26(Fora de série); 02 e 04(Fora de série esp.).
05/09/2016 Eletrônica Passo a Passo Edições 04, 05, 21, 41, 45, 46 e 48.
05/09/2016 Eléctron Edições 01(especial), 02, 28, 39 e 60.
29/08/2016 Saber Eletrônica Edições 156 e 191.
29/08/2016 Instituto Universal Brasileiro Edições 22, 27 e 28.
29/08/2016 Curso Eletrônica Rádio e TV [IUB] Complementos 05, 06, 07, 08 e outros.
28/08/2016 Aprendendo e Praticando Eletrônica Edições 83 e 85.
28/08/2016 Eletrônica Total Edição 139.
28/08/2016 Saber Eletrônica Edições 151 e 154.
21/08/2016 Radiotécnica Edições 142, 151 e 152.
21/08/2016 Rádio e Eletrônica Edição 05.
21/08/2016 Monitor de Rádio e TV Edição 401.
21/08/2016 Saber Eletrônica Edição 374.
21/08/2016 Eletrônica Total Edição 62.
20/08/2016 Eléctron Edições 15, 16, 20 e 22.
20/08/2016 Eletrônica Total Edições 29, 30, 31, 32, 37 e 75.
14/08/2016 Eletrônica Coletâneas Edições 09 e 19.
14/08/2016 Eletrônica para Todos [Antiga] Edição 23.
14/08/2016 Rádio-TV Técnico Edições 57 e retrospectiva.
02/08/2016 Saber Eletrônica Edições 340, 362 e 372.
01/07/2016 Eletrônica Total Edições 44 e 146.
01/07/2016 Saber Eletrônica Edições 322, 327, 329 e 345.
01/07/2016 Eléctron Edição 43.
22/06/2016 Divirta-se com a Eletrônica Edição 50.
22/06/2016 Eléctron Edição 29.
22/06/2016 Saber Eletrônica Edições 290, 304, 318 e 320.
19/06/2016 Saber Eletrônica Edições 343, 402 e 407.

terça-feira, 4 de setembro de 2012

domingo, 2 de setembro de 2012

Links quebrados


Quero avisar os leitores que os links de algumas revistas estão quebrados e que vou arrumando na medida do possível.

Qubit eletrônico: interface estável entre mundos clássico e quântico


Os elétrons (vermelho) do eletrodos saltam para a molécula, lendo o spin eletrônico (laranja) e o spin nuclear (verde).


Interface quântico-clássico

Os computadores quânticos parecem estar finalmente rompendo a casca do ovo, dando as primeiras olhadelas nos problemas reais, como o dobramento das proteínas e cálculos criptográficos. Como se viu nestes dois casos recentes, o grande desafio é isolar os qubits da interferência externa. Por mais isolados do ambiente que sejam, contudo, não se pode prescindir de ler e alterar os qubits - e a leitura e a escrita são sempre os momentos mais traumáticos, já que representam uma "interferência" por excelência. Agora, pesquisadores alemães conseguiram pela primeira vez ler o estado quântico de um átomo diretamente, usando eletrodos metálicos. Esta é a primeira demonstração de uma interface estável entre o mundo clássico e o mundo quântico. "Normalmente, todo contato com o mundo externo altera a informação em um sistema mecânico-quântico de uma forma completamente descontrolada," explica o professor Mario Ruben, do Instituto de Tecnologia de Karlsruhe. "Por isso precisamos manter o estado quântico estável e protegido. Por outro lado, a informação precisa ser lida de forma controlada para que ela possa ser usada."

ABC da Astronomia - Episódio 05 - Distâncias


domingo, 19 de agosto de 2012

Postagens

Quero avisar os leitores que estou reduzindo as postagens do blog, desde que criei o blog até julho desse ano eu estava desempregado por isso eu tinha tempo para administrar o blog sem que acumulem erros, mas infelizmente estou ficando com bem pouco tempo para acessar a internet, já informei os leitores que estão contribuindo sobre isso. Falta ainda corrigir o erro das edições da Onda Quadrada.
Coloquei alguns links que achei bem interessante contendo diversas calculadoras on-line, são todos de um site sobre eletrônica, vale a pena dar uma fuçada.

Revista Radiorama [Parte 24]

Segue mais uma parte.

Circuito de grafeno estreia no mundo real


Esquema das portas lógicas de grafeno, postas para funcionar em cascata, compondo circuitos complexos, funcionais a temperatura ambiente.



Lógica do grafeno

O grafeno é a estrela das pesquisas científicas e tem feito mais promessas do que o mais devoto dos fiéis. Isso tem gerado uma expectativa quanto a quando essas promessas começarão a ser cumpridas, ainda que isso possa ser exigir demais de uma substância descoberta há menos de oito anos. Contudo, assim como a concessão do Nobel pela descoberta do grafeno bateu todos os recordes de velocidade, essa transição dos laboratórios para as fábricas está se fazendo mais rapidamente do que seria razoável cobrar. Agora, por exemplo, pesquisadores italianos acabam de criar o primeiro circuito integrado feito unicamente com portas lógicas de grafeno. Ou seja, não se trata mais de apenas um transístor de grafeno, ou mesmo de um circuito básico como fez a IBM há alguns meses.

sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Novo tipo de transístor altera estado da matéria



À esquerda o esquema e, à direita, microfotografia do transístor de Mott, capaz de alterar a estrutura completa do material.

Capacidade amplificada

A terceira idade do transístor - ele acaba de completar 65 anos de idade - promete ser qualquer coisa, menos monótona. Logo depois do surgimento do promissor transístor a vácuo, agora acaba de ser inventado um novo tipo de transístor que permite realizar mudanças no estado da matéria usando correntes elétricas. Cientistas do laboratório Riken, no Japão, criaram um componente que usa a acumulação eletrostática de cargas sobre a superfície de um material para desencadear uma alteração do seu estado físico. O material muda completamente, passando de isolante para metálico. E não se trata apenas de uma transição de estados eletrônicos - o material sofre uma mudança em sua estrutura cristalina.

terça-feira, 24 de julho de 2012

Onda Quadrada - Erro

Por causa das mudanças que estou fazendo nos arquivos do 4shared ocorreu o erro nas postagens das revistas Onda Quadrada, quem tiver acompanhando peço que tenha um pouco de paciência que logo estarei arrumando, enquanto isso é possível baixar pelo link direto, é só clicar com o botão direito do mouse e selecionar "Salvar como".

sexta-feira, 20 de julho de 2012

Transístor a vácuo supera eletrônica sólida


Os elétrons, representados pelas esferas azuis, emitidos na interface entre uma camada de óxido (verde) e silício (azul claro) viajam no ar e são capturados por uma camada de grafeno.


Pegando o vácuo

Há cerca de um mês, cientistas causaram sensação ao apresentar um nanotransístor a vácuo, que mais parece uma reinvenção das antigas válvulas eletrônicas. Parece que a ideia tem sustentação, tendo vindo para ficar. Agora foi a vez de uma equipe da Universidade de Pittsburgh, nos Estados Unidos, apresentar a sua versão de transístor a vácuo - já com uma tensão operacional muito mais baixa.

terça-feira, 17 de julho de 2012

Mais revistas

Mais um site que achei por acaso na net, tem algumas revistas, não muitas, mas vale a pena dar uma olhada.

Link

sábado, 7 de julho de 2012

Confecção de placas e Arduino

Trago algumas dicas de sites/blogs que alguns leitores me enviaram, se alguém ainda não conhece vale a pena dar uma olhada.

A primeira dica vem do meu amigo radioamador Alexandre Madeiro, é um site de outro radioamador (PY2RLM) que pode ser acessado aqui. Entrando no site você vai ver uma lista de projetos e selecionando "Eletrônica" tem um tutorial para a confecção de placas usando somente uma impressora e um ferro de passar roupas, é bem simples e interessante.

Essa outra dica é do leitor que está contribuindo com revistas para o blog, o Roberto. É um blog que tem muita coisa sobre Arduino e que pode ser acessado aqui. Eu tinha outra dica que também ia passar no blog, uma dica do Paulo, outro leitor que está contribuindo com o blog, mas infelizmente o blog está fora do ar.

Revista Radiorama [Parte 19]

Segue mais uma parte. Assim que terminar de passar todos os arquivos para o Mediafire vou fazer o mesmo com as revistas Radiorama.

Onda Quadrada [Parte 06]

Segue mais uma parte. Lembrando que para fazer download pelo 4shared é só clicar na capa.

Bit molecular levará discos rígidos ao limite


O pulso elétrico disparado pela ponta de um microscópio de tunelamento altera a molécula entre diferentes estados de magnetização e condutância.



Spintrônica molecular

Um bit de informação digital gravado em um disco rígido moderna é formado por cerca de 3 milhões de átomos magnéticos. Mas dá para fazer o mesmo trabalho com muito menos - mais especificamente, com 51 átomos. Na verdade, todo o trabalho é feito com um único átomo de ferro, com os outros 50 átomos compondo um escudo protetor contra alterações indesejadas no valor do bit. Foi isto o que demonstraram pesquisadores da Universidade de Chiba (Japão) e do Instituto de Tecnológica Karlsruhe (Alemanha), em um trabalho que conjuga eletrônica molecular e spintrônica.

domingo, 1 de julho de 2012

Mais mudanças

Estou fazendo mais algumas mudanças no blog, estou passando todos os arquivos do 4shared para o Mediafire. Como alguns leitores podem notar eu já passei boa parte das revistas e pastas com circuitos, esta última eu coloquei o link de cada pasta para ficar mais fácil de achar um esquema e com uma vantagem, como a maioria dos esquemas são pequenos, é possível visualizar o arquivo antes de baixar, essa é mais uma ferramenta do Mediafire, só não aconselho fazer isso com as revistas, a menos que você tenha banda larga de alta velocidade.

LED melhora 122% trocando silício por cobre


Em comparação com os LEDs comuns, fabricados sobre silício, a luz emitida pelo LED sobre cobre melhorou 122%.


Efeito de confinamento quântico

Pesquisadores chineses conseguiram pela primeira vez substituir o silício pelo cobre na fabricação de LEDs. Tufu Chen e seus colegas da Universidade Sun Yat-sen conseguiram transferir o semicondutor nitreto de gálio (GaN), crescido inicialmente sobre uma pastilha de silício, para uma camada de cobre. E não foi apenas uma questão de "replantio". O substrato de cobre permitiu que os cristais de nitreto de gálio liberassem estresses internos gerados quando eles são cultivados sobre o silício. Esse "relaxamento" permitiu a minimização do chamado "efeito de confinamento quântico", um problema que reduz a eficiência dos LEDs.

LED fenomenal

Em comparação com os LEDs comuns, fabricados sobre silício, a luz emitida pelo LED sobre cobre melhorou 122%. Segundo os pesquisadores, esse ganho, considerado "fenomenal", deveu-se a uma série de fatores, gerados pela mudança do silício para o cobre:

 - remoção do substrato absorvente;
 - inserção de um metal refletor entre a estrutura do LED e o substrato;
 - eliminação do "sombreamento" causado pelo eletrodo;
 - rugosidade da superfície exposta, que melhorou a orientação do cristal sobre o substrato.


sábado, 23 de junho de 2012

ABC da Astronomia - Episódio 02 - Ano luz




Grafeno e plasmônica permitem controle elétrico da luz


Um laser infravermelho focado sobre o braço de um microscópio de força atômica gera os plásmons, ondas superficiais de elétrons, sobre o grafeno.


Ondas de elétrons

Duas equipes de cientistas, trabalhando independentemente, demonstraram que é possível controlar ondas de elétrons na superfície do grafeno usando um circuito elétrico simples. Essencialmente, torna-se possível controlar a luz com eletricidade, permitindo sua manipulação com as mais diversas finalidades. Por exemplo, criar microscópios com uma resolução sem precedentes, porque essas ondas de elétrons, chamadas plásmons de superfície, não têm as restrições do comprimento de onda da luz. Também se tornará possível criar novos tipos de materiais ópticos, incluindo os metamateriais, famosos pela invisibilidade, e novas plataformas de computação onde a luz substitui os elétrons, com a chamada plasmônica, ou de interfaces entre a comunicação óptica e o processamento eletrônico. Os plásmons de superfície vêm sendo cogitados para inúmeras aplicações, mas até agora eles só haviam sido observados na superfície de metais.

sábado, 16 de junho de 2012

ABC da Astronomia - Episódio 01 Astronomia

Série idealizada pela TV Escola, um canal de televisão do Ministério da Educação que capacita, aperfeiçoa e atualiza educadores da rede pública desde 1996. Constituída de trinta episódios apresentando os principais conceitos de Astronomia. A cada programa, o professor e Astrônomo Walmir Cardoso, apresenta um tema derivado de uma letra do alfabeto.
Trago aqui essa excelente série com permissão desse ótimo canal da educação brasileira.


Onda Quadrada [Parte 04]

Segue mais uma parte. Só lembrando que para fazer download pelo 4shared é só clicar na imagem.

Revista Radiorama [Parte 17]

Segue mais uma parte.

NASA: há chances de asteroide atingir a Terra em 2040


A expectativa será se, em Fevereiro de 2023, o 2011 AG5 passará ou não através de uma região no espaço que os astrônomos chamam de "buraco de fechadura", medindo 365 quilômetros de diâmetro.


2011 AG5

As observações feitas até o momento indicam que há uma pequena chance de que o asteroide 2011 AG5, descoberto em janeiro de 2011, atinja a Terra em 2040. Este foi o consenso dos participantes de um encontro internacional promovido pela NASA para discutir as observações do asteroide feitas por astrônomos de todo o mundo, usando telescópios terrestres e espaciais. O 2011 AG5 mede 140 metros de diâmetro. Segundo a agência espacial, é provável que as observações ao longo dos próximos 4 anos reduzam a probabilidade do impacto para menos de 1%.

Buraco de fechadura

O nível de risco vai ganhar ainda mais clareza em 2023, quando o asteroide chegará a aproximadamente 1,8 milhão de quilômetros da Terra. A expectativa será se, em Fevereiro de 2023, o 2011 AG5 passará ou não através de uma região no espaço que os astrônomos chamam de "buraco de fechadura", medindo 365 quilômetros de diâmetro. Se ele passar por essa região, a atração gravitacional da Terra poderá influenciar a órbita do asteroide o suficiente para trazê-lo de volta para uma rota de colisão, que ocorreria em 05 de fevereiro de 2040. Se o asteroide não passar pelo buraco da fechadura, um impacto em 2040 será descartado. "Dado o nosso entendimento atual da órbita deste asteroide, há apenas uma chance muito remota de que esta passagem pelo buraco de fechadura ocorra," disse Lindley Johnson, do programa NEO, da NASA (Near-Earth Object Observation, observação de objetos próximos à Terra).

Estado de atenção

"Embora haja um consenso geral de que há apenas uma chance muito pequena de que poderíamos estar lidando com um cenário de impacto real para este objeto, continuaremos atentos e prontos para tomar medidas se as observações adicionais indicarem que ele está garantido," disse Johnson. Vários anos atrás, um outro asteroide, chamado Apophis, foi considerado uma ameaça, com uma possibilidade de impacto semelhante prevista para 2036. Observações adicionais, feitas entre 2005 e 2008, cientistas da NASA refinaram seus cálculos da trajetória do asteroide, mostrando uma probabilidade significativamente reduzida de um impacto com a Terra. Embora os cientistas esperem que o mesmo ocorra com o 2011 AG5, eles reconhecem a pequena chance de que as probabilidades calculadas aumentem com os resultados das observações a serem feitas entre 2013 e 2016. De acordo com os especialistas que participaram do evento, mesmo se essas chances aumentarem, haverá tempo suficiente para planejar missões para mudar o curso do asteroide.


sábado, 9 de junho de 2012

Radioamadorismo - Esquemas

Adicionei alguns esquemas voltado ao radioamadorismo na pasta "Circuitos". É um apanhado de esquemas de diversas revistas, alguns pode estar duplicados e/ou meio ilegíveis pois do jeito que eu recebi eu fiz os uploads, nem tive muito tempo de ficar arrumando porque são muitos esquemas.

Revista Radiorama [Parte 16]

Segue mais quatro edições.

Onda Quadrada [Parte 03]

Segue mais quatro edições.

quinta-feira, 7 de junho de 2012

Eletrônica transparente quer levar painel para o pára-brisas


Detalhe da tela quase flexível, cuja transparência é melhor observada nos protótipos abaixo.

Painel no pára-brisas

Pesquisadores europeus apresentaram os resultados de um projeto que pretende levar as informações dos painéis dos carros para os pára-brisas. O conceito envolve uma folha de plástico flexível transparente, contendo todos os circuitos eletrônicos necessários para mostrar as informações. Esse plástico transparente seria aplicado sobre o pára-brisas e conectado aos circuitos do carro. Ao contrário de outros projetos de telas flexíveis - e de todo o esforço por trás da Eletrônica Orgânica - o grupo se concentrou na transformação de óxidos inorgânicos em componentes eletronicamente ativos. A tela flexível e transparente foi construída com um filme cerâmico, à base óxidos cujas partículas têm poucos nanômetros de diâmetro, o que os torna basicamente transparentes. Contudo, esses óxidos são a base para LEDs orgânicos, os verdadeiros responsáveis por mostrar as informações.

Brilhante mas pouco flexível

Embora já existam no mercado sistemas que projetam informações de velocidade e outras, o brilho dos LEDs orgânicos superou até mesmo o brilho de alguns painéis tradicionais, daqueles que se precisa abaixar os olhos para olhar. O protótipo já apresenta um excelente nível de transparência, embora ainda não seja flexível o suficiente para ser aplicado sobre o vidro. É também difícil afirmar qualquer coisa sobre o custo de fabricação dessas telas, mesmo em escala industrial, devido à dificuldade de processamento dos óxidos - um dos grandes trunfos da eletrônica orgânica é o baixo custo de fabricação. Por outro lado, mesmo não sendo totalmente flexível, a tela pode encontrar utilidades em outras áreas, como em vitrines capazes de mostrar anúncios, por exemplo.
O projeto Multiflexoxides teve a participação do Instituto Uninova, de Portugal, da VTT (Finlândia) e da Fiat (Itália).

Fonte: Inovação Tecnológica

domingo, 3 de junho de 2012

ARRL Antenna Book

Essa é uma contribuição do leitor Edmar Carvalho que achou e me enviou o link. Obrigado Edmar por essa excelente contribuição.


ARRL Antenna Book

Download

sábado, 2 de junho de 2012

Bioeletrônica: Primeiro circuito integrado químico


Quanto totalmente desenvolvido, o processador químico poderá controlar a liberação de moléculas diretamente nas células, por exemplo, controlando o acionamento de nervos e músculos.


Lógica química

Cientistas suecos criaram o primeiro circuito integrado químico. O chip é capaz de fazer cálculos e operações lógicas como um circuito integrado eletrônico comum. A diferença crucial é que, em vez de eletricidade, o circuito usa compostos químicos circulando através de canais iônicos, similares aos existentes nos seres vivos. O chip químico é uma decorrência natural de um trabalho divulgado em 2010, quando Klas Tybrandt e seus colegas criaram um transístor iônico, cujo funcionamento depende não de uma corrente de elétrons, mas de um fluxo de íons. Os transistores iônicos transportam tanto íons positivos quanto negativos, assim como biomoléculas.

domingo, 27 de maio de 2012

Nanotransístor a vácuo: o retorno das válvulas?


Enquanto as menores válvulas já construídas mediam algumas dezenas de milímetros, o nanotransístor a vácuo mede 150 nanômetros.

Era das válvulas

O mundo da eletrônica e dos computadores não nasceu transistorizado: nasceu valvulado. Os componentes básicos dos primeiros circuitos eletrônicos eram as válvulas termoiônicas, um componente, ou uma série de componentes juntos, lacrados a vácuo dentro de um invólucro de vidro. Estas válvulas continuam sendo utilizadas até hoje em equipamentos de potência muito alta, como retransmissores de rádio e TV, e em equipamentos de som de alta-fidelidade. Os transistores as substituíram, inaugurando a era da eletrônica de estado sólido - observe um velho rádio de pilha e você verá escrito nele "solid state" - porque consomem menos energia e são muito menores, o que viabilizou a miniaturização. Mas os transistores não são melhores do que as válvulas em todos os aspectos.

quarta-feira, 23 de maio de 2012

Onda Quadrada [Parte 01]

Essa é mais uma revista italiana que possui muitos esquemas interessantes, vale a pena baixar. São quarenta e uma edições divididas em oito partes de cinco edições cada, sendo a última parte com seis edições.
Aproveito para fazer um teste nessa postagem e se der tudo certo vou fazer isso mais vezes. Todo serviço gratuito de hospedagem na net sempre vai dar algum problema e com o site que hospedo minhas imagens não é diferente, tive alguns problemas de imagens diferentes e/ou apagadas sem entender o motivo, por isso vou aproveitar os links que o 4shared fornece para colocar no blog e que já tem imagem, mas como ela é pequena eu fiz um pequeno ajuste no tamanho para ficar iguais as outras.

Para fazer o download é só clicar na imagem, se você prefere o download direto pode usar o link que está abaixo da imagem, é só clicar com o botão direito do mouse no link e escolher "Salvar como". Qualquer dificuldade ou dúvidas deixe um comentário.

sexta-feira, 18 de maio de 2012

Wi-Fi com raios T mais próximo da realidade


O experimento foi possível graças a um componente de 1 milímetro quadrado, chamado diodo-túnel, ou diodo de tunelamento ressonante (branco, sobre o suporte metálico).

Radiação terahertz

Pesquisadores japoneses bateram o recorde de transmissão de dados sem fios na faixa dos terahertz, uma parte ainda inexplorada do espectro eletromagnético. A taxa de dados alcançada é 20 vezes maior do que o melhor padrão wi-fi. A banda dos raios T fica entre as micro-ondas e o infravermelho distante - 1 THz equivale a 1.000 GHz. Os raios T, ou radiação terahertz, vêm sendo considerados como altamente promissores para o uso biomédico, eventualmente substituindo os raios X - apesar do nome "radiação terahertz", trata-se de uma radiação não-ionizante. Em 2007, pesquisadores demonstraram pela primeira vez que os raios T poderiam ser usados também para a transmissão digital de dados. Desde então tem havido uma procura frenética pelo desenvolvimento de geradores de radiação terahertz e de antenas capazes de captá-la.

quarta-feira, 16 de maio de 2012

Revista Radiorama [Parte 14]

Segue mais uma parte.

Olho biônico a laser usa retina artificial de células solares


Esta retina artificial está sendo desenvolvida para pacientes que tenham perdido a visão por doenças degenerativas da retina, como degeneração macular e retinitis pigmentosa.


Cientistas implantaram minúsculos dispositivos, semelhantes a células solares, por trás da retina de animais de laboratório, criando uma nova espécie de retina artificial. A expectativa é que, em um futuro próximo, a nova prótese - também conhecida como olho biônico - possa restaurar a visão de pessoas que não podem enxergar devido a doenças oculares degenerativas.

quarta-feira, 9 de maio de 2012

Livros

Já esses dois livros são italianos, mas não estão no site do italiano, é uma pena não ser em português. Só lembrando que as duas partes deve estar na mesma pasta para descompactar.

e-Tecidos: LEDs viram fibras luminosas flexíveis


LEDs em forma de fibras darão maior flexibilidade à fabricação dos tecidos eletrônicos, que poderão dispensar as tramas mistas e serem inteiramente eletrônicos.

Fibras eletrônicas

Pesquisadores têm usado várias técnicas para produzir os chamados e-tecidos, ou tecidos eletrônicos. Ao incorporar circuitos eletrônicos no meio das roupas, será possível viabilizar os tão esperados computadores de vestir e roupas capazes de recarregar celulares e outros aparelhos portáteis. Liang Dong, da Universidade do Estado de Iowa, nos Estados Unidos, teve uma ideia melhor do que mesclar circuitos eletrônicos no meio das fibras dos tecidos. Ele decidiu criar componentes eletrônicos em forma de fibras, o que pode dar uma flexibilidade muito maior para a fabricação dos e-tecidos, que poderão dispensar as tramas mistas e serem inteiramente eletrônicos.

Eliminando o substrato

Outras equipes já haviam demonstrado a possibilidade de criar LEDs flexíveis e longos, imitando fibras, mas que precisam ser excitados externamente por outra fonte de luz, o que elimina sua praticidade. LEDs, transistores, células solares, e virtualmente todos os componentes eletrônicos, precisam ser fabricados "sobre" alguma coisa, o chamado substrato, geralmente silício, que acaba sendo de longe a parte mais volumosa do componente. Dong desenvolveu uma técnica que virtualmente elimina a necessidade do substrato - cuja função é apenas estrutural e não funcional - deixando o componente leve e flexível. "Nossa abordagem envolve fabricar os LEDs na forma de micro e nano-fibras, com elevado rendimento, mas sem um substrato. Nós as chamamos de nanofibras emissoras de luz autoportantes," disse o pesquisador.

Limite de emissão

Além da técnica de deposição dos materiais, chamada deposição eletrostática, o processo é marcado pela utilização, em cada fibra, de uma camada externa do material ITO, transparente mas eletricamente condutor, o mesmo usado nas telas sensíveis ao toque. As fibras começam a emitir luz quando alimentadas por uma tensão de 4,2 volts, chegando a produzir 23cd/m2 (candelas por metro quadrado) a 6,8 V. "Nós agora estamos trabalhando para otimizar a durabilidade e a tensão limite para a emissão de luz, para melhorar o desempenho e também para desenvolver formas melhores de conectar essas fibras-LED aos circuitos externos, com vistas a aplicações optoeletrônicas e têxteis-eletrônicas," concluiu o pesquisador.

Fonte: Inovação Tecnológica

segunda-feira, 7 de maio de 2012

Transistor Cross Reference Guide

Achei esse livro no site do italiano, mesmo que nos dias de hoje tenha programas de equivalência de transistor nunca é de mais ter mais uma fonte de pesquisa.



Transistor Cross Reference [1980]
Download
 

sexta-feira, 4 de maio de 2012

Revista Radiorama [Parte 13]

Segue mais quatro edições.

Sonda espacial vai procurar vida em luas de Júpiter


A sonda Juice entrará na órbita de Ganimedes, onde estudará a superfície gelada e a estrutura interna dessa lua, incluindo o seu oceano subsuperficial.


Explorador de luas geladas

A Agência Espacial Europeia (ESA) anunciou sua próxima grande missão de exploração - uma missão em busca de sinais de vida nas luas de Júpiter. Será a sonda espacial JUICE (Jupiter Icy moons Explorer: explorador da luas geladas de Júpiter), que irá estudar em detalhes pela primeira vez as luas mais interessantes de Júpiter. A sonda venceu dois candidatos, o NGO, um observatório para procurar ondas gravitacionais, e ATHENA, um telescópio avançado para astrofísica de altas energias. A sonda Juice será primeira missão do programa da ESA Visão Cósmica 2015-2025. A sonda Juice fará em Júpiter um trabalho semelhante ao que a sonda Cassini está fazendo em Saturno - com a grande diferença que as luas de Júpiter vêm sendo apontadas há anos como os locais mais prováveis para se encontrar vida no Sistema Solar fora da Terra.
A maior parte da exploração de Júpiter foi feita pela sonda Galileo, que, em 1995, se tornou o primeiro artefato humano a orbitar o planeta, e que se chocou contra Júpiter em 2003.

terça-feira, 1 de maio de 2012

Revista Electron [Primeira parte]

Essa revista se não foi a primeira é uma das primeiras revistas técnicas editadas no Brasil. Essa revista era distribuida entre os sócios da Rádio Sociedade do Rio de Janeiro, a primeira emissora de rádio do Brasil. Fundada dia 20 de abril de 1923 pelos pioneiros Roquete Pinto, Henrique Morize e Elba Dias, tinha um transmissor de 500W e uma antena instalada no alto do Corcovado onde hoje é o Cristo Redentor.

Fonte: fiocruz.br/radiosociedade

Mudanças no blog

Caros leitores hoje vou testar mais uma ferramenta que já é usada há algum tempo nos blogs para fazer com que o leitor passe mais tempo no blog, mas a minha intenção não é fazer isso e sim para mostrar mais postagens na página principal.
Quando posto muitas edições ao mesmo tempo demora um pouco até chegar à próxima postagem, a página fica longa e deve ter leitores que gostariam de visualizar as outras postagens de forma mais rápida, foi daí que vi a necessidade de fazer essa modificação, não vai ser todas postagens dessa maneira a partir de hoje, provavelmente as mais importantes não serão alteradas.
Qualquer crítica ou sugestão deixem um comentário.

domingo, 29 de abril de 2012

Brasil desenvolve processador antirradiação para uso espacial


O processador brasileiro com sistema antirradiação possui aproximadamente 500 mil transistores e foi construído com a tecnologia de 180 nanômetros.


Chip espacial brasileiro

O Brasil acaba de desenvolver seu primeiro chip com proteção anti-radiação espacial, voltado para aplicações em foguetes e satélites. O processador poderá ser utilizado em futuros satélites miniaturizados, conhecidos como nanossatélites, usados para monitoramento espacial e ambiental, e como plataforma para o teste de novas tecnologias espaciais. O projeto, financiado pela Agência espacial Brasileira (AEB), foi realizado por uma equipe da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e do escritório de projetos NSCAD Microeletrônica.

Influência da radiação espacial nos satélites

Chips que funcionam no espaço estão sujeitos à interferência da radiação proveniente da atividade solar e dos raios cósmicos, bem como de outros eventos cósmicos mais raros, como as erupções de raios gama. Em momentos em que a atividade do Sol está mais elevada, como aconteceu no início deste ano, há interferência nos componentes eletrônicos - a falha em um único chip pode comprometer o funcionamento de todo um sistema, como satélites de telecomunicações ou de GPS. O protótipo do processador espacial, desenvolvido em um projeto coordenado pela professora Fernanda Gusmão de Lima Kastensmidt, é composto por dois processadores e utiliza técnicas para detectar e corrigir falhas provocadas pela radiação espacial.

Processador antirradiação

O circuito integrado, um processador dual-core chamado NSC21101, é composto de dois processadores mini-MIPS de 32-bits, lógica de teste, interface SPI, controle de memórias externas e PLL. Um dos seus processadores tem redundância em hardware, uma técnica conhecida como TMR (Triple Modular Redundancy), a fim de corrigir falhas nos registradores internos induzidas por eventos externos. O processador antirradiação solar possui aproximadamente 500 mil transistores e foi construído com a tecnologia de 180 nanômetros. O núcleo do processador ocupa uma área de 2,31 x 2.31 milímetros (mm) e, com o encapsulamento suas dimensões chegam a 4,17 x 4,17 cm. O chip processa programas armazenados em memória FLASH e em memória SRAM. O programa deve ser gravado na memória FLASH externa e, conforme o modo de operação, é copiado para a memória SRAM externa e processado. Os resultados gerados pelo processamento são armazenados na mesma memória externa SRAM e poderão ser também copiados para a memória FLASH externa conforme a necessidade.

Radiação espacial

A energia da radiação espacial induz a criação de pares elétrons-lacunas nos circuitos eletrônicos. A atmosfera terrestre oferece uma proteção contra a quase totalidade desses efeitos, mas os processadores que operam no espaço não contam com esse escudo. Essa radiação é medida em rad, a unidade de radiação absorvida por cada grama de matéria. Como, na eletrônica o material básico é o silício, usa-se a nomenclatura rad(Si), ou krad(Si), onde o k tem o mesmo efeito multiplicador que o kbyte tem em relação ao byte. Chips que funcionam no espaço estão sujeitos a dois tipos de radiação, uma cumulativa (TID: Total Ionizing Dose) e outra de pico (SEE: Single Event Effects). A dose de ionização total (TID) é medida pelo acúmulo de ionização que o circuito integrado recebe ao longo de sua vida útil no espaço. A tolerância de um circuito à TID depende do seu processo de fabricação e do layout dos transistores. Os efeitos de eventos individuais (SEE) são caracterizados por falhas transientes que podem ocasionar a inversão dos valores nos elementos de memória. A principal técnica de tolerância a falhas SEE é a redundância em hardware, geralmente com a triplicação da lógica e o uso de "votadores de maioria".

Fonte: Inovação Tecnológica

terça-feira, 24 de abril de 2012

Mudanças e materiais


Como vocês podem observar eu acrescentei mais alguns itens no blog, um é o tradutor e o outro vai ajudar quem fica mais logado no e-mail do que navegando na net, que é para receber as atualizações através do e-mail. Eu já testei e funciona, mas com um pouco de atraso. Quero dizer também que adicionei mais esquemas de ligação dos alarmes Positron para carro, adicionei umas revistas voltadas ao radioamadorismo que está na pasta de “Revistas de Eletrônica Diversas”. Adicionei mais alguns livros e circuitos (veja a pasta Circuitos Diversos).
Também quero avisar o leitor Daniel, que me enviou o link da sua pasta no 4shared, que estou retirando o link por estar quebrado, se você tiver outro link e quiser atualizar é só entrar em contato, e por último trago um link com revistas estrangeiras atuais que pode ser acessado aqui.

Revista Radiorama [Parte 12]

Segue mais uma parte.



46 - Junho de 1960
Download ou Link direto
 
47 - Julho de 1960
Download ou Link direto
 
48 - Agosto de 1960
Download ou Link direto
 
49 - Setembro de 1960
Download ou Link direto
 

sexta-feira, 20 de abril de 2012

Tecnologia terahertz promete celulares que enxergam através das paredes


Os maiores benefícios da frequência terahertz estão na geração de imagens médicas sem os riscos da radiação dos raios X. Mas o Dr. Kenneth O (à esquerda), prefere celulares para encontrar pregos na parede - talvez o quadro na parede de seu laboratório possa explicar porquê.



Errando o alvo

A radiação na frequência terahertz (THz) há muito é vista como a salvação da lavoura para a área médica, por ser não-ionizante, ou seja, não produz danos aos tecidos vivos. Isto sem contar as inúmeras possibilidades de aplicações na área de telecomunicações e várias outras. O professor Kenneth O, da Universidade do Texas, por exemplo, parece entusiasmar-se mais com outros tipos de aplicação. Ele e sua equipe construíram um gerador de ondas THz que, segundo eles, poderá transformar os telefones celulares em aparelhos capazes de ver através das paredes, madeira, plásticos, papel e outros objetos. É claro que anunciar uma tecnologia que permitirá que telefones celulares enxerguem através das paredes tem um apelo de mídia maior do que anunciar o desenvolvimento de um gerador miniaturizado de ondas terahertz. Contudo, a tecnologia poderá ter impactos muito mais significativos na área de comunicações mesmo, mas para a transmissão de dados, assim como no imageamento médico e na visão de máquina usada no setor industrial. De fato, é realmente possível, em princípio, construir os tais celulares bisbilhoteiros. Mas, para isso, os pesquisadores terão que miniaturizar também o detector, uma vez que eles até agora construíram apenas o emissor de raios T.

Chip emissor de terahertz

O espectro electromagnético caracteriza comprimentos de onda de energia. Por exemplo, ondas de rádio AM e FM, micro-ondas usadas pelos telefones celulares, ou o comprimento de onda infravermelha, usada pelos equipamentos de visão noturna. Já a banda terahertz do espectro eletromagnético, uma faixa de comprimento de onda entre as micro-ondas e o infravermelho, é bem mais complicada, e só recentemente foi construído o primeiro gerador portátil de ondas terahertz.O novo trabalho dá um impulso significativo na área. O grupo conseguiu juntar dois avanços importantes: um gerador capaz de produzir ondas na frequência terahertz do espectro electromagnético, e uma nova tecnologia de circuito integrado que permitiu inserir a tecnologia dentro de um chip. "Nós criamos abordagens que abrem uma parte anteriormente inexplorada do espectro eletromagnético para o uso do consumidor e para aplicações médicas que poderão salvar vidas," diz o Dr. O. "A faixa dos terahertz tem um potencial ilimitado, que poderá beneficiar a todos nós."

Terahertz em CMOS

Com o novo emissor miniaturizado, as imagens podem ser criadas com sinais operando na faixa dos terahertz sem ter que usar várias lentes, como nas abordagens anteriores. Isso pode reduzir a dimensão total do aparelho e, certamente, seu custo. O melhor é que tudo foi embutido em um chip construído com a tecnologia padrão da microeletrônica, chamada CMOS (Complementary Metal-Oxide Semiconductor), permitindo sua integração com outros aparelhos eletrônicos. "A combinação de CMOS e terahertz significa que você pode colocar esse chip e um receptor na parte de trás de um celular, transformando-o em um dispositivo portátil que pode ver através dos objetos," diz o pesquisador. Lembrando que esse receptor portátil ainda terá que ser desenvolvido.

Encontrar pregos ou cuidar da saúde

Alegando preocupações com privacidade, o Dr. O e sua equipe fizeram testes em uma faixa de distância de até 10 centímetros - na verdade, essa é a potência máxima que eles obtiveram até agora com seu chip THz. Insistente, ele afirma que um celular com essa tecnologia poderia ter inúmeras aplicações, de encontrar pregos e fios embutidos nas paredes, até a autenticação de documentos ou a detecção de dinheiro falso. A indústria poderia utilizar a mesma tecnologia para detectar partes metálicas em produtos. Há também mais canais de comunicação disponíveis na faixa dos terahertz do que em toda a faixa atualmente disponível para as comunicações sem fio, embora ainda haja desafios tecnológicos a serem superados para que a banda dos THz possa operar em alta potência e a longas distâncias. Mas as maiores possibilidades de usos e benefícios na frequência terahertz estão na geração de imagens médicas sem os riscos da radiação dos raios X. E, para isso, equipamentos miniaturizados de baixa potência são mais do que suficientes.

Fonte: Inovação Tecnológica

terça-feira, 17 de abril de 2012

SCR Manual [GE]

Esse é mais um livro que tenho e não vou precisar digitalizá-lo. Nesse final de semana eu fiz uma visita no site do italiano e vi que ele tinha colocado esse livro por lá, até o de baluns que coloquei mais abaixo ele tem.
É um ótimo livro para pesquisas de circuitos que usa SCR, parece brincadeira mas uns tempos atras eu estava procurando um circuito usando SCR como chave, não esses simples com um SCR, eu queria um que tivesse uma chave para ligar e outra para desligar e só achei um exemplo nesse livro. É um circuito simples, mas naquela época não achei nada na net a respeito.



Download ou Link direto

sexta-feira, 13 de abril de 2012

Transmission Line Transformers Handbook

Esse é um livro daqueles que não pode passar batido para quem precisa montar um balun. Mostra diversos tipos de baluns de acordo com as impedâncias de entrada/saída usando ferrites Amidon. Tem uma breve teoria e mais de cinquenta exemplos de baluns tanto para alta como baixa potência.



quinta-feira, 12 de abril de 2012

Processadores multinúcleos vão virar mini-Internets


Assim como os computadores da rede mundial, os núcleos de um processador multicore deverão transmitir e receber informações em "pacotes" de dados.


Quem quer comprar?

Já faz alguns anos que os processadores de computador não ficam mais rápidos. Para manter os aumentos constantes de velocidade que softwares e consumidores ficaram acostumados, os fabricantes de chips começaram vendendo dois processadores pelo preço de um. Hoje eles já vendem de seis a oito processadores pelo preço de um só, os chamados processadores multi-núcleos, que nada mais são que vários processadores encapsulados dentro de uma única pastilha de silício. Mas mesmo esta estratégia está encontrando suas limitações.

Internet em um chip

O problema é que os núcleos intercomunicam-se usando um único barramento: um único conjunto de fios por onde os dados passam. Isso significa que, em um determinado momento, apenas dois núcleos estão trocando dados, uma séria limitação para uma tendência que já ousa falar em centenas e até milhares de núcleos no mesmo chip. Agora, Li-Shiuan Peh e seus colegas do MIT acreditam ter encontrado a solução para esse gargalo. Eles foram buscar inspiração na internet, para propor que, assim como os computadores da rede mundial, os núcleos de um processador multicore devem transmitir e receber informações em "pacotes" de dados. Cada núcleo deverá ter seu próprio roteador, que poderá enviar cada pacote por diversos trajetos, dependendo da condição da rede interna do processador a cada momento.

Além dos barramentos

"Os barramentos atingiram seu limite. Eles tipicamente atendem a oito núcleos," diz a pesquisadora, comentando que os chips de 10 núcleos já possuem um segundo barramento, mas que isso não vai funcionar para centenas de núcleos. "Barramentos consomem um bocado de energia porque eles dependem de fios longos para atingir oito ou 10 núcleos ao mesmo tempo," complementa. Na sua "rede em um chip", a Dra. Peh propõe que cada núcleo fale apenas com os quatro núcleos mais próximos: "Assim, você precisa de segmentos pequenos de fios, permitindo reduzir a tensão."

Fonte: Inovação Tecnológica

sábado, 7 de abril de 2012

Practical Wireless

Trago aqui algumas edições dessa revista americana. As edições que estão no Mediafire não vem com as páginas de propagandas para tornar o arquivo menor, quem quiser a versão completa pode acessar através do link direto, clicando com o botão direito do mouse e selecionando "Salvar link como".


Nº 690 - Agosto de 1964
   

Nº 710 - Abril de 1966
 

Nº 737 - Julho de 1968
 

Nº 770 - Abril de 1971
 

Nº 778 - Dezembro de 1971
   

Nº 798 - Agosto de 1973
   

quinta-feira, 5 de abril de 2012

Projeto pretende viabilizar criação de robôs em casa


Este é um protótipo que atende à visão que os cientistas têm em seu projeto: um robô impresso em papel, imitando um inseto, e usando uma placa controladora genérica.



Robôs impressos

Engenheiros norte-americanos receberam US$10 milhões para um projeto que pretende "reinventar como os robôs são projetados e fabricados". O objetivo é desenvolver uma plataforma simples que permita que qualquer pessoa projete, configure e imprima um robô especializado em algumas horas de trabalho. A impressão 3D está rapidamente viabilizando a chamada fabricação aditiva, e os engenheiros querem tirar proveito dessa nova possibilidade - a construção de objetos 3D por impressão - para dar um empurrão no campo da robótica. O projeto reúne pesquisadores do MIT (Massachusetts Institute of Technology) e das universidades da Pensilvânia e Harvard, e terá cinco anos de duração.

Compilador de máquinas físicas

Atualmente, leva anos para projetar, fabricar e programar um robô, um processo muito caro, envolvendo desenvolvimento de hardware e software, aprendizagem de máquina e técnicas de visão artificial. O novo projeto pretende automatizar o processo de construção de dispositivos 3-D funcionais, que permitam que pessoas sem treinamento específico possam projetar e construir robôs funcionais a partir de materiais como, por exemplo, folhas de papel. "Nossa visão é desenvolver um processo de ponta a ponta, mais especificamente um compilador para a construção de máquinas físicas, que comece com um elevado nível de especificação de função, e dê como resultado uma máquina programável para essa função, usando processos simples de impressão," explicou Daniela Rus, coordenadora do projeto.

Problema prático

Essa visão antevê uma pessoa em casa identificando um problema que precisa de auxílio para ser resolvido ou conduzido no dia-a-dia - pegar objetos que caem embaixo do sofá, por exemplo. Essa pessoa então seleciona um projeto de uma biblioteca de projetos de robôs, ajusta-o para atender às suas necessidades específicas e envia seu projeto customizado para uma impressora 3D. Segundo a Dra Rus, o objetivo é que, em 24 horas, o robô possa ser impresso, montado, totalmente programado e fique pronto para entrar em ação. Um exemplo é um protótipo apresentado pela equipe, apenas parcialmente funcional, que imita um inseto e consegue chegar onde a mão ou a vassoura não chegam.